domingo, 1 de novembro de 2009

Filosofia Clássica Grega

Antes de entrarmos na questão, devemos ter em mente que a filosofia ou qualquer pensamento racional surgido na Grécia partiu como antítese a mitologia. A Grécia antiga estava mergulhada em mitos, isso é, em explicações primitivas sobre o mundo. Assim sendo, criavam-se deuses para explicar tudo que envolve a vida, o cotidiano. Isso significa que os gregos criaram explicações para a sexualidade, para a chuva e sol, origem do mundo, e tudo que envolve o homem. A filosofia surgiu para derrubar essas especulações do que vem a ser a natureza.

Os primeiros gregos que filosofaram foram os chamados Pré-socráticos, como Tales de Mileto (Séc. VII e VI) que era matemático, astrônomo (previu um eclipse do sol) e dizia que o mundo origina-se da água, Pitágoras que muito ajudou a ciência com a questão da matemática. Houve outros filósofos, como Anaximandro, Anxímenes, Zenão, Empédocles, Anaxágora,mas quem marcou mais esse período foi Parmênides e Heráclito. O último dizia que todas as coisa se opõem e dessa tensão resulta a unidade do mundo e o primeiro é antagônico ao outro, defendendo que o ser é o ser, ou seja, se uma coisa existe ela é essa coisa e não pode ser mudada. A metafísica e a lógica (dois ramos filosófico) partem daqui.

O filósofo Sócrates inaugura um outro tempo na filosofia grega, a saber o período conhecido como socrático, que engloba principalmente os filósofos Sócrates, seu discípulo Platão e Aristóteles. Os três se divergem muito.

É de Sócrates (469 a 399 a.C aprox.) a frase: “Só sei que nada sei.” Pregava nas praças, para os jovens, levando-os a pensar mediante o processo da Ironia e Maiêutica. Foi condenado como ateu por descordar da mitologia e atacar os deuses. Todos socráticos eram contra o sistema ditatorial da política. Platão defendia a sofocracia (governo dos sábios). Era sua a frase: “Os males não cessarão para os homens antes que a raça dos puros e autênticos filósofos chegue ao poder”. Dizia também que o homem chega na maturidade quando descobri que não há político honesto. Podemos dizer que a democracia tem base nesses filósofos. Interessante também é a idéia de Platão de que existe um mundo separado, que é o mundo das idéias. Agostinho pegou essas idéias para defender a existência do céu, chamado de cidade de Deus. Platão também defendia um tipo de determinação divina, chamada por Agostinho de predestinação. Criam também na preexistência da alma, e no caso de Platão, havia também uma defesa a reencarnação. Já Aristóteles é conhecido como o homem que defendia a felicidade. Para ele toda ética deve visar a felicidade.

A política deve partir do mesmo princípio. Aristóteles não defendia o mundo das idéias, mas separou o mundo em dois mundos, o mundo supralunar e o mundo sublunar. O primeiro é a região que situa os corpos celestes. O segundo, é onde estão os 4 elementos: água, ar, terra e fogo. Dizia que o homem é um animal político. Aristóteles não defendeu que a política traria um mundo justo, como Platão, mas classificou as formas de governo em 3: monarquia e despotismo (um só indivíduo), aristocracia e oligarquia (de alguns) e democracia (governo de todos). Não demonstrou claramente qual forma defende, mas mostrou vantagens e desvantagens em todos.

O pensamento desses filósofos influenciaram o mundo ocidental, a religião cristã, sendo que Platão influenciou Santo Agostinho que influenciou Lutero e Calvino (cristianismo protestante) e Aristóteles influenciou Tomas de Aquino (cristianismo católico).

A arte, muito defendida por Aristóteles, a cultura e a filosofia gregas influenciaram o mundo pelo helenismo, principalmente através da Macedônia (Alexandre o Grande) e de Roma, que foi influenciado até na arquitetura.

Por Prof. Yuri Almeida

7 comentários:

  1. Excelente essa esplanação , é uma vertente que leva á reflexão da visão histórica do conceito filosofia ...

    ResponderExcluir
  2. muito bom, vou fazer uma prova amanhã e isso me ajudou muito

    ResponderExcluir
  3. muito interessante.wole soyinka

    ResponderExcluir