domingo, 1 de novembro de 2009

Incas

A Área Andina: a sociedade de Inca

Essa área abrange o norte do Equador, boa parte do Peru, parte da Bolívia e ao sul o litoral chileno. Há então áreas desérticas, florestas densas, vales profundos elevados altiplanos.

Os incas obtiveram uma notável organização política, digna de admiração por parte dos espanhóis que chegaram no Peru, chefiados por Pizarro, em 1531.

A mitologia era também presente entre os incas, inclusive no que concerne a origem dos povos, que era caracterizada como divina, sendo chamados de filhos do Sol.

Os espanhóis foram cruéis com todos os incas, arrasando tudo, deixando tal cultura nas memórias da história.

A terra é de quem trabalha...
Até 1483 os incas tinham um modo de produção semelhante aos seus vizinhos. A agricultura era primitiva, cultivando culturas como batata e milho. Na pecuária criavam-se lhamas e alpacas. Dividiam-se em clãs, chamados ayllus. Esse era formado por indivíduos parentescos, contando a descendência pela linha paterna. As comunidades possuíam terras comuns. Na religiosidade, cultuavam um antepassado mitológico. Havia também um chefe, em que era sustentado pela ayllus.

Em 1438, sob o reinado de Pachacútec, os incas estenderam suas tendas, exercendo poderio político e militar desde o Equador setentrional até o Chile Central.

A ampliação do poderio inca trouxe transformações em suas estruturas. Os ayllus que foram conquistados não tiveram tanta importância para o novo império. Foram forçados a contribuir com produtos ou trabalho para manutenção em áreas distantes, sem importância para a localidade.

Os ayllus deixaram de ser tão familiares, sendo que há historiadores que afirma que os ayllus chegaram a ser aglomerados de cem famílias que prestavam serviços. Talvez isso era para fins administrativos, se é que tal informação tenha veracidade.

Os camponeses dos ayllus trabalhavam juntos nas terras, que pertenciam ao Estado, mas era dividida em propriedades do Estado (Imperador), do Sol (sacerdotes) ou mesmo do ayllu. As terras comunais, nunca privadas, eram redistribuídas anualmente a cada família. Primeiro os ayllus tinham que cultivar primeiramente as terras dos sacerdotes e do Estado, depois podiam cultivar seus lotes. As colheitas do Estado e do clero ficavam em armazéns separados, que serviam para a manutenção desde soldados até a aristocracia.

Em caso de excedente da produção agrícola, essa era redistribuída pelo estado em caso de calamidades e crises. Além de cultivar a agropecuária, as famílias praticavam um artesanato para consumo próprio.

Em relação às obras públicas, os camponeses eram obrigados a trabalhar gratuitamente nestas. Porém os artesãos urbanos e outros trabalhadores especializados ficam por conta de servir a aristocracia e eram isentos dessa obrigatoriedade de trabalhar gratuitamente nos serviços públicos.

Dentro dessa estrutura sócio-econômica, cada ayllu era auto-suficiente e o comércio de longa distância envolvia apenas artigos de luxo ou matérias primas que o Estado necessite.

As Sociedades Incas
O mais importante da sociedade Inca é o imperador, que era dono de toda terra e também era considerado como um deus.

A Alta Aristocracia era constituída por pessoas da família do imperador, como funcionários reais. Os sacerdotes tinham privilégios, como morar nos templos. Também havia os Curacas, antigos chefes que não perderam a hegemonia.

Os funcionários recebiam terras pelos serviços prestados, para desfrutarem em usufrutos.

Artesãos, escravos e militares que trabalhavam para a aristocracia eram isentos de impostos. Também os camponeses que trabalhavam nas terras dos aristocratas recebiam em troca seu próprio sustento.

O imperador era cheio de privilégios: como ter várias mulheres etc. Quando morriam eram mumificados e ficavam em seus palácios.

Abaixo vinham os chefes governantes das quatro partes em que era dividido o império, governadores de províncias, os curacas, chefes de aldeias.

O grande centro administrativo era Cuzco...

No território inca existiam funcionários que cuidavam do registro e da cobrança de impostos da população.

Uma Religião do Estado
Eles faziam culto ao Sol – Inti – que era o mais popular entre o povo inca. Havia templo, onde os sacerdotes residiam, como também virgens do Sol, com juramento de castidade.

Como dependiam da agricultura adoravam divindades da natureza como a lua, a chuva e etc. Já a aristocracia cultuava a Viracocha, criador do universo.

Havia lugares sagrados e também ocorriam sacrifícios humanos e de animais.

Um Povo de Costumes
Os incas utilizavam sua arte para fins úteis como construção de palácios, edifícios, aquedutos, templos e canais. Exemplos de artes incas podem ser encontrados em Cuzco com seus templos importantes e também no centro urbano de Machu Pichu. As construções dos incas sempre impressionaram muitos, inclusive os conquistadores espanhóis.

As construções eram realizadas sob a direção do Estado, explorando o trabalho gratuito da mão de obra camponesa.

Muito dos exemplares das esculturas incas foram perdidas ou reduzidas a barras de ouro, enviadas para a Espanha.

Os incas não tinham escrita, porém criaram um sistema de escrita chamado quipu que consistia em um cordão com vários cordéis coloridos em que um especialista através das cores e posições dos cordéis conseguia guardar posições de regiões, tipos de produtos armazenados e etc.

Além desse registro, possuíam um calendário lunar que dividia o ano em doze meses.

O Canto dos Mortos
Enfraquecido por lutas internas, o império Inca alvo fácil para os conquistadores espanhóis que, sem qualquer respeito fizeram sangrar a cultura e a sociedade Inca.

Alguns poucos corajosos tentaram se rebelar contra os estrangeiros, como José Gabriel Tupac Amaru que pagou tal ousadia com a vida.

Os poucos que sobreviveram à fúria ganância cega dos conquistadores, vivem hoje em condições de miséria representando a massa pobre da numerosa população lutando para serem reconhecidos como humanos e terem de volta aquilo que por mérito deveria lhes pertencer: a terra onde seus antepassados construíram uma nação com suor e infelizmente não conseguiram conservá-la, mesmo com seu sangue.

Prof. Yuri Almeida

5 comentários:

  1. Excelente artigo de introdução aos Incas, o seu sistema de gestão parecia deveras complexo. Estava mesmo a precisar de algumas informações para fazer um trabalho escolar, obrigado pela contribuição!

    ResponderExcluir
  2. camila n henrique pereira n=3 8ano d28 de novembro de 2011 16:29

    gostei muito desse texto,aprender um pouco mais sobre esses povos que eram tão inteligentes encantando todos que viam suas obras,e lutaram pelo que eram de direito deles.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom esse texto, me ajudou a entender mais sobre os Incas, que eu não conhecia muito bem sobre eles.

    ResponderExcluir
  4. muito bom mas poderia falar mais um pouco sobre a politica e sobre o ayllu.Mas muito bom me ajudou a compreender melhor sobre eles :-D

    ResponderExcluir
  5. muto bom mesmo esse texto sobre os incas bregado yuri

    ResponderExcluir