segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Rotterdam, Erasmo


Desiderius Erasmus, mais conhecido como Erasmo de Rotterdam foi um humanista e teólogo holandês de destaque no período do Renascimento. Era o segundo filho de um padre, sendo praticamente órfão desde a infância. Nasceu em cerca de 1467 em Rotterdam e faleceu em 1536 em Basiléia, Suíça. Seus primeiros estudos ocorreram no colégio dos Irmãos da Vida em Comum, onde conheceu a cultura clássica. Estudou em Paris, Oxford, Louvain e Turin. Ensinou em Cambridge e mudou-se para Basiléia, na Suíça.

Em 1488 ingressou na Ordem dos Agostinianos e em 1492 foi ordenado padre, mas no ano seguinte abandonou a vida monástica, quando foi nomeado secretário do bispo de Cambrai, na França. Em 1495 teve contato com a teologia em Sorbone, Paris. Foi devido a uma insatisfação com os estudos que Erasmo entra em contato com os humanistas franceses. Em 1499 conhece Thomas Morus - de quem se tornou um grande amigo - na Inglaterra, John Colet e outros pensadores humanistas. Por meio desses humanistas Erasmo ficou conhecendo textos do platonismo florentino, principalmente da teologia bíblica e patrística, como também um escrito do humanista italiano Lorenzo Valla. Este último influenciou Erasmo em seu trabalho filológico, no qual ele fundamentava toda teologia na crítica filológica do novo testamento, sendo deficiente a Vulgata Latina. Daqui surgiu o desejo de editar o novo testamento grego. Ao mesmo tempo escrevia Elogio da Loucura, obra conhecida por seu caráter satírico sobre a necessidade de uma reforma na Igreja - essa obra foi dedicada a Thomas Morus. Já nessa época o humanista holandês era conhecido de toda classe intelectual e o maior representante do humanismo.

Ele foi o autor do primeiro novo testamento grego impresso, chamado de Textus Receptus, acompanhado de uma versão latina, sendo que na época já havia um grande número de variantes textuais, devido a produção de manuscritos. O Textus Receptus serviu como base para muitas traduções impressas em outros idiomas.

Erasmo de Rotterdam influenciou os intelectuais de sua época. Apoiou algumas questões da Reforma Protestante, mas não se afastou formalmente da Igreja Católica, pois achava que Lutero estava exagerando e também aquele propunha uma reforma com erudição e não um conflito que geraria e gerou uma separação, ou melhor, divisão da Igreja Cristã. Em 1524 Erasmo intervi na Reforma escrevendo Sobre o Livre-Arbítrio, atacando algumas concepções de Lutero e apoiando a Igreja Católica.

Apesar de sua oposição ao comportamento de Lutero, Erasmo desejava uma reforma na Igreja. Ele chegou a denunciar que a vida monástica estava distante da verdadeira fé, como também todo o clero. Propôs uma reforma interna na Igreja, restaurando o cristianismo primitivo. Chamou sua proposta de philosophia Christi (filosofia de Cristo), pois cria que os cristãos deveriam voltar a ética formulada e apresentada por Cristo nos evangelhos.

Suas obras foram: Desprezo ao Mundo; Chiliades Adagidrum; Louvor a Insensatez; Sobre o Livre Arbítrio; O Epicúrio; O Novo Testamento Grego; e escritos sobre os Pais da Igreja.

Prof. Yuri Almeida

2 comentários:

  1. Prof. Yuri Almeida eu queria saber de no mínimo 3 criticas de Erasmo ao clero e a Igreja.

    ResponderExcluir
  2. Professor Yuri Almeida, saudações. Tendo pouca instrução, apesar, ouso pedir-lhe que me esclareça se baseado em Erasmo de Roterdã posso empregar a expressão "humanista cristão" e, como católico, se a "Igreja Católica Século XXI" tem Erasmo como seu membro histórico, integrado, fiel.
    Grato por sua atenção.
    roberto.email.simoes@gmail.com

    ResponderExcluir