quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Bismarck, Otto von

Otto Eduard Leopold von Bismarck, Príncipe Bismarck-Schönhausen, foi um estadista prussiano, responsável pela unificação alemã. Segundo Bismarck os grandes problemas de sua época não deveriam ser resolvidos com discursos, mas a “ferro e sangue”.

Nascido no dia 1º de abril de 1815, em Schönhausen, Prússia, pertencia a uma família da nobreza rural local (Junker). Estudou direito nas universidades de Göttingen e Berlim, formando-se em 1835. Bismarck serviu no exército como tenente da guarda, mais tarde voltou-se para cuidar das propriedades de sua família. Em 1847 foi eleito para a Dieta prussiana. Seus discursos no parlamento (Reichstag), em 1849, chamaram a atenção do Rei Frederico Guilherme IV. Destacou-se pela arrogância, atitudes provocadoras e desdém pela opinião pública. Para os liberais era a encarnação do espírito medieval, o representante da reação e porta-voz do absolutismo. Para os Junkers, apresentava-se como eficiente defensor dos interesses da classe. Bismarck fez planos sobre o futuro Império Alemão (I Reich) enquanto ocupava o cargo de representante da Prússia na Dieta Germânica em Frankfurt, de 1851 a 1859. Foi embaixador de seu país inicialmente junto à corte russa e depois junto à corte francesa. Em 1862 foi chamado de volta à Prússia, para tornar-se primeiro-ministro e secretário de assuntos estrangeiros. A ascensão ao posto de primeiro-ministro foi produto do apoio que lhe prestavam as altas esferas militares prussianas.

Bismarck travou três guerras para unificar os Estados Alemães: contra a Dinamarca, em 1864; a Guerra das Sete Semanas, contra a Áustria, em 1866; e a Guerra Franco-Prussiana, entre 1870 e 1871. Depois da derrota de Napoleão III, o rei da Prússia foi coroado como Guilherme I, Imperador da Alemanha. Bismarck tornou-se chanceler do novo império, cognominado o Chanceler de Ferro.

O sucesso de Bismarck para conseguir a unificação alemã e o poder nacional baseou-se em uma política militar impiedosa e eficiente e uma grande habilidade diplomática. Devotou-se ao estabelecimento de uma rede de tratados com o objetivo de fortificar a posição da Alemanha na Europa.

Criou juntamente com a Áustria e a Itália a Tríplice Aliança, que durou até a Primeira Guerra Mundial. Sentindo que a posição da Alemanha poderia um dia ser ameaçada, assinou um tratado com a Rússia que garantia a neutralidade alemã em caso de um ataque à Rússia. Bismarck considerava a paz com a Rússia um ponto básico de sua política, pois desta forma a Alemanha não precisaria preocupar-se com uma guerra em duas frentes.

Guilherme II tornou-se imperador em 1888, afastando do cargo o chanceler, já idoso, porque tinha inveja de sua fama. Sendo-lhe concedido o título de Duque de Lauenburgo, Bismarck retirou-se para sua propriedade em Friedrichsruh, onde morreu em 30 de julho de 1898.

Fontes

ENCICLOPÉDIA BARSA. Encyclopaedia Britannica Editôres Ltda. Volume 3. Págs. 153 a 155. Rio de janeiro, São Paulo: 1971.

ENCICLOPÉDIA DELTA UNIVERSAL. Editora Delta S.A. Volume 3. Págs. 1310 e 1311. Rio de Janeiro: 1980.

ENCICLOPÉDIA DIDÁTICA DE INFORMAÇÃO E PESQUISA EDUCACIONAL. Livraria Editora Iracema Ltda. 5ª Edição. Volume 2. Pág. 578. São Paulo: 1989.

Por Nilton Cezar Ribeiro.

2 comentários: