segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Josefo, Flávio

Josef Ben Matthias, em latim Flavius Josephus, foi um historiador judeu que nasceu no primeiro século em Jerusalém, aproximadamente em 37 d.C. e faleceu em Roma aproximadamente em 103 d.C. Era um judeu de expressão grega, fariseu que muito conhecia as escrituras sagradas judaicas, o velho testamento e as tradições de seu povo. Antes de se tornar um fariseu, viveu por um tempo como asceta. Em 64 foi enviado a Roma para libertar sacerdotes judeus escravizados - missão cumprida - retornando dois anos depois à Palestina.

Na guerra judaico-romana, tentou por ordem a revolta da Galiléia. Na Galiléia foi preso pelos romanos e levado para Roma. Porém, por ter "previsto" o futuro de Vespasiano como imperador, passou a ser protegido por este e posteriormente pelo imperador Domiciano. Devido sua ligação com os romanos por intermédio do imperador, passou a ser acusado pelos judeus de traidor. Apesar de Josefo tentar manter uma amizade com os romanos e defender a causa militante dos judeus, esteve em campanha militar com Tito, filho do imperador Vespasiano, o que mais causou a revolta de seu povo contra si. Devido sua cooperação para com os romanos foi-lhe conferida a cidadania romana e pela mesma ocasião recebeu o nome de Flávio Josefo, de origem latina.

Após a queda de Jerusalém Josefo chegou a escrever em árabe, mas esses escritos foram traduzidos para o grego - por isso o grego de Josefo é difícil de ser compreendido pelos estudiosos do grego helenista e ainda mais pelos estudiosos do grego koinê.

Suas obras foram: Guerras dos Judeus, em que instigado por Tito ele narra como os judeus e romanos entraram em conflito, vencendo os romanos. Nessa obra há atuações e palavras de Vespasiano e Tito; Antiguidades, começa a relatar a visão judaica sobre a criação e vai até a guerra entre judeus e romanos; e uma Autobiografia, que além de sua autobiografia, se defende das acusações do judeu Justus. Escreveu também Contra Ápion, no qual defende o judaísmo diante do paganismo. Em português temos História dos Hebreus que reúne as três obras citadas e outras pequenas obras como por exemplo Flávio Josefo: Uma testemunha do Tempo dos Apóstolos que reúne algumas partes das obras (documentos) citadas.

Em Antiguidades Josefo cita seu contemporâneo Jesus de Nazaré, mas muitos defendem que isso foi um acréscimo porque a Igreja cristã preservou suas obras por ter informações sobre o período de nascimento do cristianismo. Seja como for, é raro ou o único documento extra-bíblico da época que cita Jesus. A parte que cita Jesus está em Antiguidades 18:3,3, mas caso queira pesquisar em História dos Hebreus que está em português e reúne as três obras citadas, está em Antiguidades 18:4,772. Assim diz Flávio Josefo nesse documento sobre Jesus:

"Nesse mesmo tempo apareceu Jesus, que era um homem sábio, se todavia devemos considerá-lo simplesmente como um homem, tanto suas obras eram admiráveis. Ele ensinava os que tinham prazer em ser instruídos na verdade e foi seguido não somente por muitos judeus, mas mesmo por muitos gentios. Era o Cristo. Os mais ilustres da nossa nação acusaram-no perante Pilatos e ele fê-lo crucificar. Os que o haviam amado durante a vida não o abandonaram depois da morte. Ele lhes apareceu ressuscitado e vivo no terceiro dia, como os santos profetas o tinham previsto e que ele faria muitos outros milagres. É dele que os cristãos, que vemos ainda hoje, tiraram seu nome."

Além de Jesus, ele citou outros importantes personagens da história, como João Batista, Herodes, Pilatos, os imperadores Agripa e Félix e outros. Como historiador não comentou sobre a nova religião cristã, mas tem grande importância para quem estuda os antigo e novo testamentos. É visto como um dos grandes historiadores do período helenista, como também Heródoto, Tucídides, Xenofonte e Políbio.

Prof. Yuri Almeida

6 comentários:

  1. www.prefacioaopensamento.blogspot.com

    Ótima postagem... muito elucidativa, eu estava mesmo procurando algo mais sobre Josefo.

    Visite o blog enviado.

    Me tornei seguuidor seu.

    ResponderExcluir
  2. Maria das Graças18 de junho de 2010 18:36

    muito bom...

    ResponderExcluir
  3. Citou em um paragrafo, somente em um? um homem que mudou o mundo todo!?
    Já foi provado que ele não citou nada e que isso foi inserido no livro dele!

    ResponderExcluir
  4. Josefo é a evidência de que houve interpolação, também, em Tácito. A unica referência detalhada do suposto martírio dos cristãos por Nero.Tudo invenção.

    ResponderExcluir
  5. Josefo é a evidência de que houve interpolação, também, em Tácito. A unica referência detalhada do suposto martírio dos cristãos por Nero.Tudo invenção.

    ResponderExcluir
  6. Aonde seus escritos foram achados, aonde estão hj, sempre tive curiosidade. EMAIL gabriel.cage@gmail.com

    ResponderExcluir