sábado, 19 de fevereiro de 2011

Cruzadas

Por volta do séc. IX o Islamismo já estava presente no Oriente Médio, norte da África e península Ibérica. Um pouco mais tarde, os balcãs e África subsaariana conheceram as idéais do profeta Maomé.

No séc. XI Jerusalém já estava dominada pelos muçulmanos. Para dominar Jerusalém, os europeus fizeram as CRUZADAS, que eram expedições militares contra os muçulmanos.

A Igreja e a nobreza apoiaram as cruzadas que mataram muitos árabes. Não podemos esquecer que a riqueza da nobreza está na terra e as cruzadas era uma oportunidade de aumentar os feudos de europeus e de expansão para o cristianismo.

A primeira cruzada foi de 1096 a 1099. O papa Urbano II (responsavél pelo estabelecimento da cúria romana na forma atual) e o monge francês Pedro, o eremita, foram os incentivadores dessa cruzada. O alvo era simples - libertar Jerusalém do poder turco. Conseguiram capturar Nicéia, Antioquia, Edessa e chegaram a Jerusalém. Já nessa primeira cruzada conseguiram estabelecer alguns reinos feudais, uma prova do interesse geopolítico das cruzadas. Participaram desse conflito Válter Sans Avoir, Gottschalk, Raimundo de Tolosa, Godofredo, Tancredo e Roberto da Normandia.

A segunda cruzada foi em 1147-48 e foi motivada pelo abade Bernardo de Claraval e pelo papa Eugênio III (sua família pertencia a nobreza italiana). Também participaram dessa Conrado III (fundador da dinastia Hohenstaufen de imperadores do Sacro Império) e Luís VII (rei dos francos da dinsatia dos capetianos) . Essa cruzada tinha a intenção de retomar Edessa dos turcos. Uma terra dominada pelos turcos significava uma área em que o velho feudalismo europeu fica sem atuação. Claro, a alegação oficial para atacar Edessa e Damasco era religiosa, visto que o islamismo era condenado pelo ceio do cristianismo. Interessante que a desconfiança entre os cruzados ocidentais e os guias orientais levou o exército cruzado não apenas a derrocada, mas a sua dizimação.

De 1189 a 1192 houve uma terceira cruzada, motivada pelo papa Alexandre III, que teve apoio do imperador do Império Romano-Germânico Frederico de Barbaroxa, do rei dos francos Felipe Augusto (um dos monarcas mais poderosos da Idade Média) e do rei da Inglaterra e duque da Normandia Ricardo I. A Igreja buscava aliados nos pequenos reinos bárbaros cristãos para conseguir aumentar seu domínio no Oriente. O objetivo oficial dessa cruzada era retomar Jerusalém dos sarracenos e de Saladino, que era um chefe militar curdo muçulmano e que se tornou sultão do Egito a Síria. Seu domínio chegou ainda ao iraque e Iêmem. O fim dessa cruzada foi trágico para os cruzados, o imperador Frederico de Barbaroxa morreu afogado, o rei Felipe Augusto voltou derrotado e Ricardo I capturou as cidades de Jope e Acre e fez um acordo com Saladino . Contudo, foi preso na Áustria enquanto retornava. Não conseguiram seu objetivo.

A quarta cruzada foi em 1200-04 organizada pelo papa Inocêncio III. Ele teve apoio de Thibaut de Champagne, Luís de Blois, Balduíno de Flandres, Simão de Montfort (nobre franco-normando) e Henrique Dandolo. Queriam enfraquecer o poder sarraceno invadindo o Egito. A cidade cristã de Zara (atual Zadar, na Croácia) foi saqueada para pagar os transportes contratados em Veneza. Por isso os cruzados foram excomungados. Muitas cidade muçulmanas eram saqueadas nas Cruzadas e nunca a Igreja se posicionou contra, pelo contrário, havia o entendimento de que numa guerra tal é suportável. A cidade de Constantinopla foi tomada pelos cruzados, que a tornaram capital do Império Latino. Esse Estado Cruzado durou de 1204 a 1261, quando voltou a ser Império Bizantino.

Em 1212 houve a estranha Cruzada das Crianças, motivada pelo desconhecido Nicolau Estêvão. A Idade Média tinha sua mitologia muita enraizada na sociedade. Queriam conquistar Jerusalém de maneira sobrenatural, pelos "puros de coração". Criam que a conquista de Jerusalém não se deu porque até então tinha entre os cruzados "homens pecaminosos". A conquista da "terra santa" não se daria pela força dos braços e sim pela fé. O fim de um disparate desse foi claro - a maioria das crianças foram afogadas no mar, vendidas como escravas ou mortas.

A quinta cruzada ocorreu de 1219 a 1221 e foi motivada pelo papa Honório III e teve apoio incondicional de Guilherme da Holanda e João de Brienne. Este último ocupou o trono de Jerusalém entre 1210 e 1225 e chegou a ser co-imperador com Balduíno II do Império Latino. Tinham o objetivo de enfraquecer o poder sarraceno e invadir o Egito. Desta vez os cruzados tiveram sucesso na coquista de Damieta, no Egito, mas logo depois, a perderam novamente.

A sexta cruzada ocorreu em 1229 e desta vez não tinha o incentivo oficial do papado, mas o imperador do Sacro Império Romano-Germânico Frederico II de Hohenstauffen esteve a frente dessa nova tentativa de reconquistar Jerusalém. No final, aconteceu algo interessante, os cruzados fizeram um acordo com o sultão que passou o controle de Jerusalém para Frederico. Logicamente ele foi excomungado da Igreja, mas esse fato prova mais uma vez que a questão religiosa não era o principal motivo das cruzadas e sim a sede por terra, visto que na Idade Média a posse de terra era algo que valia o título de nobreza.

A sétima cruzada ocorreu em 1248 e teve o rei da França Luís IX como participante notável. Queriam libertar Jerusalém invadindo a "terra santa" pelo Egito. Era uma manobra muito arriscada e foram derrotados no Egito mesmo.

Em 1270 o rei Luís IX retoma a batalha numa oitava cruzada. Partiu para o Egito com o objetivo de tentar converter o emir e o sultão de Túnis. Foi recebido com armas e mal pode combater, pois os cruzados foram acometidos por uma peste que assolava a região. Luís IX morreu e seu filho, Filipe, o Audaz, firmou um acordo de paz e retornou para a Europa, onde foi coroado rei.

Em 1271-72 o príncipe Eduardo da Inglaterra combateu o sultão Baybars do Egito, que domininava Jerusalém. Após trégua, Baybars tentou assassiná-lo, mas antes do contra-ataque do príncipe, seu pai Henrique III faleceu e Eduardo retornou a Inglaterra para assumir o trono e dando fim as cruzadas genuínas.

Uma décima e décima primeira cruzada pode ter sido realizada por crianças, mas há poucos registros sobre tal.

No séc. XV o papa Pio II pregava as cruzadas contra os turcos infiéis. Mas ele mesmo foi autor da bula Execrabilis em 1464 que assinalou o fim desse movimento.

As cruzadas resultaram no aparecimento de novas cidades, fomentou a importância da cavalaria no setor bélico. O contato dos europeus com os muçulmanos fez eles conhecerem a prática do comércio, o que ajudou no crescimento da burguesia. No mesmo período inicia a decadência do sistema feudal e surgimento dos Estados Nacionais monárquicos. É bom salientar que o feudalismo só vem a cair com as revoluções burguesas no sec. XVIII.

Fim da história - morreu muita gente, a Igreja continuou com seu domínio no Ocidente, o Islamismo continuou seu domínio no Oriente e Jerusalém não foi reconquistada pelos cristãos.


Referências Bibliográficas

CHAMPLIN, Russell Norman. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. São Paulo: Candeia, V. 01. 1997.

GONZALES, Justo L. Uma história ilustrada do cristianismo: a era dos altos ideias. São Paulo: Vida Nova. V. 04. 1980.

PERNOUD, Régine. O mito da Idade Média. Lisboa: Editions du Seuil. 1978.

WALTON, Robert C. História da Igreja em quadros. São Paulo: Vida. 2000.

21 comentários:

  1. Olá, adoro vir aqui, sempre aprendo e relembro muitas coisas.
    Porém, você aceitaria uma crítica construtiva???
    Não tem como aumentar um pouco mais a letra? Sempre me esforço muito para ler....
    Obrigada por enriquecer-me culturalmente...
    Beijos,
    Lu

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela contribuição. Vou ver o que faço com o tamanho das letras. Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. otavio henrique ruela21 de março de 2013 11:30

      valeu yuri vou fazer seu trabalho com tudo que esta aqui abraços wasghinton luis agradeçe

      Excluir
  3. Ola, tudo bem? Meu nome é Luciano e nos conhecemos. Já havia achado muito bom o teu blog. Já estou seguindo. Reorganizaei o meu, que estava defasado e melhorei a estética. Se puder, visite e siga o meu. Abraços.
    http://rondacosmica.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. HENRIQUE EDUARDO SILVA1 de março de 2011 15:11

    OLA YURY PARABÉNS PELO SEU BLOG ATÉ MAIS FALOOOOOOOOOO!

    ResponderExcluir
  5. OLA ,YURI ADOREI O SEU BLOG .SERA QUE VOCE PODIA FALAR UM POUCO SOBRE A QUINTA CRUZADA(A DAS CRIANÇAS). A MINHA OPINIÃO SOBRE AS CRUZADAS FOI QUE ELAS TIVERAM UM LADO BOM E O OUTRO RUIM; O LADO BOM FOI QUE QUANDO ACONTECEU AS CRUZADAS OS EUROPEUS CONHECERAM O COMERCIO ,SURGIRAM NOVAS CIDADES .E O LADO RUIM FOI QUE MUITAS PESSOAS INOCENTES MORRERAO POR CAUSA DA GANANCIA DA IGREJA QUE QUERIA JERUSALEM SO PARA TER MAIS CRISTAO QUE SIGNIFICA MAIS DINHEIRO

    ResponderExcluir
  6. Leticia Maria Rabelo 7 B1 de março de 2011 19:36

    Achei legal o texto e o blog.
    Porque as vezes na sala de aula as pessoas nao entendem muito bem a matéria,ai elas podem vir aqui dar uma lida e procurar entender.
    Aqui conta um pouco mais sobre as cruzadas.
    Gostei das cruzadas das crianças.

    ResponderExcluir
  7. Numa época em que a religião era a causa impulsionadora do dia-a-dia das pessoas, a ocupação da Palestina, cenário da vida de Jesus, pelos “infiéis” muçulmanos, encheu muitos cristãos de horror. A interferência dos Turcos Seljúcidas com os bandos de peregrinos cristãos que se dirigiam a Jerusalém, serviu de inspiração ao papa UrbanoII a fazer o apelo a uma cruzada para libertar a Terra Santa dos Sarracenos, tal como eram então denominados os Muçulmanos. Foram feitas oito Cruzadas. A primeira capturou uma boa parte da Palestina aos Sarracenos, mas passados 90 anos, estes reconquistaram Jerusalém. As Cruzadas posteriores, obtiveram menos êxito e durante a quarta, os cruzados, incapazes de pagar o aluguer dos navios aos Venezianos, foram obrigados a saquear a cidade cristã de Constantinopla. A Primeira Cruzada durou de 1096 a 1099; a última foi em 1270. Na Cruzada das Crianças de 1212, cinquenta mil crianças da França e da Alemanha partiram para a Terra Santa. O contingente alemão voltou para trás, os outros foram vendidos como escravos em Marselha. As Cruzadas, deram também grandes oportunidades aos cavaleiros idealistas da Europa Cristã. Para muitos, as lendas de romance e feitos de cavalaria, só eram reais, lutando contra os Sarracenos. Fundaram-se algumas ordens de cavalaria, destinadas a lutar pela libertação da Terra Santa dos Infiéis (seguidores do Islão), e a proteger os peregrinos cristãos. A primeira foi a Ordem dos Hospitalários de S. João de Deus, fundada em Itália em 1080 e aprovada pelo Papa em 1113. Os cavaleiros Hospitalários dedicavam-se à guarda de um hospital para peregrinos em Jerusalém. A Ordem dos Templários, foi fundada em Jerusalém em 1119, e destinava-se a lutar nas Cruzadas. O seu nome tem origem no local da sua Sede, o Templo de Salomão. Esta Ordem, ainda hoje, devido ao poder que conseguiu ter no seu tempo e a forma como foi extinta, dá origem a grandes romances, mistérios e

    Mais sobre: As Cruzadas

    ResponderExcluir
  8. Rafaela Cristina Martins 7ºano B2 de março de 2011 15:20

    As cruzadas foram sobre tudo um movimento politico que vizava alem de tudo a expansaõ do póder da Nobreza e aumento de fieis para a grande igreja, sob o pretexto de que a Terra Santa deveria ser salva dos infieis mulçamos demonizados no ceio do cristianismo. Para provar seu poder e realeza sobre os outros povos, reis e imperadores cruzaram o mar para tomar Jeruzalem, que sempre voltava ao dominio islamico de alguma forma, entre grandes nomes temos sobre tudo Roberto da Normandia na primeira cruzada, incentivada por Urbano II, Conrado III e Luis VII na segunda cruzada, organizada pelo Papa Eugenio III, Frederico Barbarossa, Felipe e Ricardo, na Terceira, incentivada pelo Papa Alexandre III. Alem dessas houveram outras 6 cruzadas dentre as quais a Cruzada das Crianças, onde varias crianças foram levadas a campo para tomarem Jeruzalem "Pela fé e não pela força", acabaram sendo mortas, vendidas como escravas ou afogadas durante as travessias no mar.
    As Cruzadas foram nada mais que mera fachada para que a Nobreza e o Papa pudessem estender seu poderio, e no fim foi graças a ela que houve as primeiras relações de comercio, tecnicas novas de agricultura, formação dos primeiros Estados Nações, e assim por diante.
    O Feudalismo europeu porem só tem sua total queda no Seculo XVIII, com as revoluções burguesas

    ResponderExcluir
  9. rayla thalita alves.7ano d12 de março de 2011 14:26

    Por volta do século 9 o islamismo já estava presente no Oriente Médio,norte da África e península ibérica.Um pouco mais tarde,os balcãs e África subsaariana conheceram as idéais do profeta moamé.No século 11 Jerusalém já estava dominada pelos muçulmanos.Para dominar Jerusalém os europeus fizeram as cruzadas que eram as expedições militares contra os muçulmanos.A igreja e a nobreza apoiavam as cruzadas.A europa não conseguiu tomar jerusalém,no total ouve 8 cruzadas para tentar dominar outras terras .No final muitos morreram e poucos ganharam.

    ResponderExcluir
  10. douglas danziger rosa 7-anoD13 de março de 2011 16:06

    Por volta do sécculo IX o Islamismo já estava presente no Oriente Médio, norte da África e península Ibérica. Um pouco mais tarde, os balcãs e África subsaariana conheceram as ideais do profeta moamé. No século XI Jerusalém estava sendo dominada pelos os muçulmanos.Para invadirem e dominar Jerusalém os europeus criaram as cruzadas que eram (expedições militares contra os muçulmanos),e a igreja nobreza apoiavam as cruzadas.E a europa nao conseguiu tomar Jerusalen.E disso ou 8 cruzadas para tenar dominar outras terras.Depois que terminou sobrou só poucos e muitos morrerem.

    ResponderExcluir
  11. alex roberto santana.7 ano d13 de março de 2011 16:28

    por volta do seculo 9 o islanismo ja estava presente no oriente medio,norte da africa peninsula iberica.no seculo 11 jesusalem ja estava dominada pelos muçumanos.para dominar jerusalem os europeus.fizeram as cruzadas que eram as expedições militares contra os muçumanos.a igreja e a nobreza apoiavamas cruzadas.a europa não coseguiu tomar jerusalem no total ouve 8 cruzadas.no final muitos morreram e poucos ganharam.a primeira cruzada foi de 1096 a 1099.1189 a 1192 houve a terceira cruzada.

    ResponderExcluir
  12. alec sandro roberto santana 7 ano c13 de março de 2011 16:47

    por vota do seculo 9 o islanismo ja estava presente no oriente medio,norte da africa penisula ibe rica.no seclo 11 jerusalem os europeus.fizeram as cruzadas que eram as expedições militares contra os muçumanos.a igreja e a nobreza apoiavam as cruzada.a europa não coseguiu tomar jerusalem no total ouve 8 cruzada.no final muitos morreram e poucos ganharam.

    ResponderExcluir
  13. natalia oliveira leonardo 7 D13 de março de 2011 20:33

    Numa época em que a religião era a causa impulsionadora do dia-a-dia das pessoas, a ocupação da Palestina, cenário da vida de Jesus, pelos “infiéis” muçulmanos, encheu muitos cristãos de horror. A interferência dos Turcos Seljúcidas com os bandos de peregrinos cristãos que se dirigiam a Jerusalém, serviu de inspiração ao papa UrbanoII a fazer o apelo a uma cruzada para libertar a Terra Santa dos Sarracenos, tal como eram então denominados os Muçulmanos. Foram feitas oito Cruzadas. A primeira capturou uma boa parte da Palestina aos Sarracenos, mas passados 90 anos, estes reconquistaram Jerusalém. As Cruzadas posteriores, obtiveram menos êxito e durante a quarta, os cruzados, incapazes de pagar o aluguer dos navios aos Venezianos, foram obrigados a saquear a cidade cristã de Constantinopla. A Primeira Cruzada durou de 1096 a 1099; a última foi em 1270. Na Cruzada das Crianças de 1212, cinquenta mil crianças da França e da Alemanha partiram para a Terra Santa. O contingente alemão voltou para trás, os outros foram vendidos como escravos em Marselha. As Cruzadas, deram também grandes oportunidades aos cavaleiros idealistas da Europa Cristã

    ResponderExcluir
  14. Lá pro séc. IX o Islamismo estava presente no Oriente Médio, norte da África e península Ibérica. Um pouco mais tarde, os balcãs e África subsaariana conheceram idéais do profeta Maomé.



    No séc. XI Jerusalém estava dominada pelos muçulmanos. Para dominar Jerusalém, os europeus fizeram as CRUZADAS, que eram expedições militares contra os muçulmanos.

    A igreja eos nobres apoiaram as cruzadas.

    A primeira cruzada foi em 1096 a 1099.


    O papa Urbano II e o monge francês Pedro o eremita foram os incentivadores dessa cruzada.O alvo era libertar Jerusalém do poder turco.

    A europa nao conseguiu tomar Jerusalen.E disso oito cruzadas para tentar dominar outras terras.Apos que terminou sobrou só poucos e muitos morreram.

    ResponderExcluir
  15. Leticia Maria Rabelo 7 °B14 de março de 2011 14:12

    MUITO BOM ESSE BLOG
    TAMBEM ACHO QUE DEVERIA TER MAIS UM POUQUINHO SOBRE AS CRUZADAS.
    QUERIA PEDIR PARA VOCÊ ESCREVER SOBRE O ABSOLUTISMO.
    ACHEI A MATÉRIA DIFÍCIL.

    ResponderExcluir
  16. Marcos Paulo C.C N° 21 Escola M.P.Washington Luis19 de abril de 2011 15:51

    Yuri : eu nao achei a historia do Tira Dente entao eu fiz da Cruzadas ta ?

    Eu entendi : Por volta do séc. IX o Islamismo já estava presente no Oriente Médio, norte da África e península Ibérica e que a Igreja e a nobreza apoiaram as cruzadas,E a segunda cruzada foi em 1147-48 e foi motivada pelo abade e em1189 a 1192 houve uma terceira cruzada, motivada pelo papa Alexandre III, que teve apoio do imperador do Império Romano-Germânico Frederico de Barbaroxa Bernardo de Claraval e pelo papa Eugênio III . . . Yuri isso que eu entendi Obrigado ! ! !

    ResponderExcluir
  17. AMANDA MARTINS GONÇALVES 7ºB WASHINGTON LUIS29 de novembro de 2011 10:19

    Ola Yuri adorei seu blog e resolvi falar um pouco das cruzadas porque teve uma proporção "balanceada" pois as cruzadas resultaram no aparecimento de novas cidades e tambem o contato dos europeus com os muçulmanos fez eles conhecerem a prática do comércio mas morreu muita gente com as cruzadas e os critãos não consequiram conquistar jerusalem..gostei tambem das cruzadas das crianças que mesmo tendo poucos registros serias uma otima materia para falar na aula...um abraço

    ResponderExcluir
  18. CAMILA N HENRIQUE PEREIRA N:3 8ANO D29 de novembro de 2011 16:15

    GOSTEI MUITO DO TEXTO E PORRISO RESOLVI FALAR DE CRUZADA.EU JÁ TINHA ESTUDADO SOBRE O ASSUNTO NA ESCOLA MAS É SEMPRE BOM RELENBRAR NÉ,A CRUZADA TEVE UM PONTO POSSITIVO: OS EUROPEUS CONHESERAM O COMÉRCIO SURGINDO MAIS CIDADES MELHORANDO O DESENVOLVIMENTO DO PAIS,MAIS O LADO RUIM É QUE MUITAS PESSOAS MORERAM POR GANANCIA DA IGREJA

    ResponderExcluir
  19. valeu muito bom .obrigadas

    ResponderExcluir
  20. O pessoal pensa que para sair da Europa e ir para Jerusalém bastava pegar um ônibus ou avião e descer nas portas da cidade, prontos para a luta. Não era assim.
    Nobres venderam tudo o que podiam para financiarem a Expedição. Havia a questão da logística, soldados, armamentos, cavalos, alimentação, etc., tudo isso caiu do céu?!
    Se objetivo era conquistar terras, não seria mais fácil tomar terras na própria Europa, ao invés de rumar para as áridas terras de Jerusalém?!
    O problema é que no século XXI é muito difícil imaginar qualquer grande manifestação de fé.
    Vejamos a barbárie cometida contra cristãos hoje, as pessoas mostram indignação através de posts na internet, naquele tempo a Cristandade resolveu ir em auxílio dos irmãos.
    Que houve ganância, claro que houve, mas foram exceções, e não a regra.

    ResponderExcluir