segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Harnack, Adolf von


Harnack foi um importantíssimo teólogo e historiador luterano contemporâneo. Nasceu em 1851 e faleceu em 1930. Foi uma das maiores figuras, se não a maior, da Teologia Liberal. Procurou espalhar as idéias do ritschlianismo, mas não chegou a ser aluno de Ritschl.

Estudou teologia, procurando convergir suas pesquisas para o estudo da história da teologia. Ensinou em várias universidades alemãs e 1888 assumiu uma cátedra na Universidade de Berlim, lecionando história da doutrina. Foi presidente do Kaiser Wilhelm Gessellschaft zur Forderung e bibliotecário da Preussische Staats-bibliothek. Foi ainda fundador do Congresso do Evangelho Social. Foi professor de teólogos influentes no século XX como: Karl Barth (se pôs ao liberalismo posteriormente), Paul Tillich (criticou o trabalho de Harnack classificando-o como impossível) e Rudolf Bultmann (que procurou ir mais além, propondo uma demitização da bíblia).

Autor da obra que se tornou clássica para a teologia, a saber: A História do Dogma. Nessa obra, Harnack expõe seu pensamento propondo a desdogmatização do cristianismo. Dizia com bases na história que, o cristianismo primitivo foi distorcido pela infiltração de outros pensamentos dentro da doutrina cristã como a filosofia grega. Nos concílios, a filosofia grega muito formou os dogmas, até mesmo em termos como ousia e hypostasis. O evangelho foi então helenizado, perdendo sua característica. Sua proposta era que, a religião deveria voltar ao simples evangelho de Jesus e abandonar os dogmas. O teólogo, para Harnack, tem a função de desdogmatizar a fé e não ensinar dogmas, afastando mais ainda o evangelho de sua essência.

Em sua outra obra A Essência do Cristianismo, a teologia é reduzida ao máximo, por não estar recheada de dogmas e doutrinas. Dizia que o evangelho de Jesus é simples e não intelectualizado. Negava a idéia de que somente os "regenerados" são filhos de Deus, mas sim todos os homens. O reino de Deus é a soberania de Deus dentre os corações e não um conjunto de dogmas e instituições. Procurou apresentar a justiça superior e o amor como sendo princípios essenciais do cristianismo. Tudo o que o teólogo proclamou foi para tentar derrubar a idéia de cristianismo dogmático. Muitas outras obras foram publicadas por Harnack, tendo sido traduzidas para diversas línguas.

Suas idéias foram rejeitadas pelas denominações protestantes. Porém, devemos salientar que a desdogmatização do cristianismo seria uma dificílima tarefa, tendo a necessidade de negar toda uma construção histórica da mentalidade cristã. Certamente um trabalho desse teria que ter o tempo como grande aliado. Mas quem sabe ainda veremos um cristianismo sem dogmas?

Prof. Yuri Almeida

4 comentários: